O ANEL MÁGICO

O ANEL MÁGICO
De: Marcondys França

PEÇA EM UM ATO
PERSONAGENS:
VALENTINA: (RAINHA)
GEORGE III: (REI)
FERDINAN: (PRINCÍPE)
TONTO: (BOBO DA CORTE)
ALFRED: (CONSELHEIRO)
ALDINE: (DAMA DE COMPANIA DA RAINHA)
SOLDADO I
SOLDADEO II
CLARA
NEURA: (TIA DE CLARA)
FEODORA: (FILHA MAIS VELHA DE NEURA)
FEONA: (FILHA MAIS NOVA DE NEURA)
AMIGO IMAGINÁRIO
CACO: (SAPO FALANTE)
JEAN: (AMIGO DE INFANCIA DE FERDINAN)
PRIMEIRO ATO
O PÚBLICO TEM A VISÃO DA SALA PRINCIPAL DO TRONO QUE FICA LOCALIZADO ATRÁS DO PALCO.
BOBO: - Há muito e muitos anos atrás num reino bem distante daqui, havia um príncipe muito generoso que nunca se importou com qualquer riqueza e sempre esteve disposto há ajudar a todos que dele precisasse. Mas estando ele em idade de se casar, seus pais o Rei George III e sua mãe a Rainha Valentina, decidiram organizar um grande baile onde escolheria uma noiva para se casar com o príncipe Ferdinan. E assim começa nossa história. (Música)
CENA I
FERDINAN: - Já caminhamos bastante meu caro amigo Jean...
JEAN: - É, acho melhor paramos um pouco.
FERDINAN: - Boa idéa.
JEAN: - Que há meu nobre amigo? Me parece preocupado?
FERDINAN: - É que, meus pais estão me preparando um grande baile...
JEAN: - Ouvi falar.
FERDINAN: - Então? Amanhã a noite devo escolher uma jovem solteira para ser minha esposa.
JEAN: - E qual o problema?
FERDINAN: - Gostaria de escolher alguém por amor…
JEAN: - Quem sabe este amor não aparece amanhã.
FERDINAN: - Será?
JEAN: - Vamos ser confiantes. Afinal as mais lindas jovens de todo o reino estará neste baile.
FERDINAN: - E você irá.
JEAN: - Não. Não posso. Bem sabe, que só os nobres são convidados.
FERDINAN: - Você é nobre. É meu amigo. Portanto meu convidado
JEAN: - Nunca que vossa majestade o rei permitirá que um camponês vá a este baile.
FERDINAN: - Você ira. Não só como convidado, mas também como meu amigo. Agora vamos.
CENA II
VALENTINA: - Aldine?! Aldine...
ALDINE: - Majestade.
VALENTINA: - Quantas vezes precisarei chamar?
ALDINE: - Perdão senhora.
VALENTINA: - Como vão os preparativos?
ALDINE: - Na mais perfeita ordem. Tudo providenciado majestade!
VALENTINA: - Perfeito. E Alfred?
ALDINE: - Vou chama-lo.
VALENTINA: - Anda... Depressa.
ALDINE: - Majestade... (Reverencia. Sai)
SOLDADO I – Vossa Majestade o rei, George III.
VALENTINA: - Majestade!
GEORGE: - Minha senhora.
VALENTINA: - Tudo pronto para o grande dia.
GEORGE: - Que bom. Não vejo a hora de vê nosso filho, o príncipe Ferdinan casado.
VALENTINA: - E belas jovens não faltarão.
ALFRED: - Majestade! (Reverencia)
VALENTINA: - Até que enfim... Já era tempo!
GEORGE: - Qual as boas novas meu caro conselheiro?
ALFRED: - Todos os convites já foram entregues. E amanhã belas jovens moças não faltarão ao grande baile de gala.
GEORGE: - Muito bem meu caro Alfred.
ALFRED: - Com vossa licença. (Sai)
GEORGE: - Agora é só esperar que nosso filho escolha sua esposa.
VALENTINA: - Com certeza há de escolher a mais bela de todas. (Dá as mãos e sai)
CENA III
BOBO: - E assim, a notícia se espalhou por todo reinado. E todas as moças, tanto as mais belas quanto as mais feias não pensavam em outra coisa a não ser, em se tornar a escolhida como a mais nova princesa do reino de cristal.
FEODORA:-Leia mamãe, leia...
FEONA: - Que esta escrito neste envelope?
NEURA: - É um convite.
FEODORA: - Convite?
FEONA: - Pra que, mamãe?
NEURA: - Um baile.
FEODORA: - Um baile?
FEONA: - Onde mamãe?
NEURA: - No Castelo de Cristal.
FEODORA: - Ah, eu nem acredito!
FEONA: - Nem eu!
AS DUAS: - Vamos a um baile! Nós vamos a um baile.
NEURA: - E o melhor, ainda não disse.
AS DUAS: - O que mamãe?
NEURA: - Nesta baile o Príncipe Ferdinan irá escolher uma moça para ser sua bela esposa.
AS DUAS: - Escolherá eu...
FEODORA: - Eu...
FEONA: - Eu...
NEURA: - Parem já com isso. Chega, as duas! Postura meninas. Agora vamos se preparar para este baile. Vocês precisam está lindas.
CENA IV
AMIGO IMAGINÁRIO: - Você ouviu isto?
CLARA: - Ouvi...
AMIGO IMAGINÁRIO: - E sabe o que eu estou pensando?
CLARA: - Nem quero saber.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Ah, mas vou dizer mesmo assim.
CLARA: - Não quero problemas.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Não seja boba. Somos amigos, não somos?
CLARA: - Claro. Somos!
AMIGO IMAGINÁRIO: - Então, um amigo só quer o bem do outro. E você poderia ir a este baile.
CLARA: - Não sei como...
AMIGO IMAGINÁRIO: - Isso, podemos dar um jeito.
CLARA: - Você e suas idéias. Vai é me arrumar confusão.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Nada disso. Você a este baile e pronto! Deixa comigo.
CLARA: - Ai, ai, ai... Vê lá o que vai aprontar.
NEURA: - Falando sozinha de novo menina?
CLARA: - Não senhora. Estava pensando alto.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Fui. (Sai)
NEURA: - Cuidado menina... Quem fala sozinha acaba louca!
CLARA: - Não se preocupe, titia. Não falo mais sozinha.
NEURA: - Acho bom. Clara, tuas primas precisam de você.
CLARA: - Sim titia.
NEURA: - Depois que preparar um banho de beleza para suas primas, quero vê está casa um brinco.
CLARA: - Sim senhora.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Até parece! Nem nascendo de novo aquelas duas ficam bonitas.
CLARA: - Fala baixo! Titia, pode te ouvi.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Esqueceu que eu sou seu amigo imaginário? Por tanto só você pode me vê e ouvi.
VOZ: - Clara!
CLARA: - Tô indo titia. Já volto. (Sai)
AMIGO IMAGINÁRIO: - Elas não perdem por esperar. Clara será a moça mais bela do baile. (Sai)
CENA V
ALFRED: - Soldados...
SOLDADO I: - Senhor.
SOLDADEO II: - Senhor
ALFRED: - Preste bem atenção, tudo nesta festa tem que correr perfeitamente bem.
SOLDADO I: - Tomamos toda providencia senhor.
SOLDADEO II: - A segurança foi reforçada ao redor do palácio.
ALFRED: - Acho bom. Pois se alguma coisa dê errado e a segurança de vossas majestades e de vossa alteza for colocada em risco... Já sabem.
SOLDADO I: - Sim senhor
SOLDADEO II: - Agora vão... Saiam... (Entra o Rei e a Rainha)
ALFRED: - Majestades!
GEORGE: - Alfred, onde está o bobo?
VALENTINA: - Precisamos nos distrair um pouco...
ALFRED: - Claro. Aldine?
ALDINE: -Majestades... Senhor. (Cumprimenta)
ALFRED: -Chame, o Tonto. Diga-o que Vossa Majestade precisa de seus serviços.
ALDINE: - Sim senhor.
ALFRED: - Logo estará aqui.
ALDINE: - Majestade... Tonto, o bobo da corte!
ALFRED: - Espero que faça bastante graça. Caso contrário... (Guilhotina)
BOBO: - Majestade! Os senhores querem vê a dança que acabei de aprender? É a rumba do Haiti. (Ele dança, o rei não acha graça) Ah, majestade... Não gostou da minha dancinha. Então posso cantar... (Canta. O rei e rainha não aprovam).
ALFRED: - Soldados! (Entram)
BOBO: - Hei! Calma... Majestade. Eu sei contar piadas. (Ele conta uma piada. O rei e a rainha não gostam)
ALFRED: - Leve-o...
BOBO: - Calma ai... Eu sei andar em cima da corda. (estica uma corda no chão anda se equilibrado e cai)
ALFRED: - Leve-o para as masmorras.
BOBO: - Não majestade! Clemência... Eu também sei virar cambalhotas... (os soldados tira o Bobo de cena)
ALFRED: - Devo manda-lo pra forca?
VALENTINA: - Meu querido, não fica bem uma morte antes do baile.
GEORGE: - Tem razão minha querida rainha. Vamos para nossos aposentos.(Saem)
ALFRED: - E você que faz aqui parada feito uma estátua de mármore. Mexa-se!(Saem)
CENA VI
FEONA: - Clara!
CLARA: - Já vou...
FEONA: - Feche meu vestido Clara.
CLARA: - Não fecha.
FEONA: - Força!
CLARA: - Estou fazendo...
FEONA: - Aperte.
CLARA: - Mais que isso impossível.
FEONA: - Mais força sua lesma!
CLARA: - Estou apertando o quanto posso.
FEONA: - Aperte!
CLARA: - Ô, Ô!
FEONA: - Que foi?
CLARA: - Sinto muito.
FEONA: - Fez de proposto.
CLARA: - Não
FEONA: - Mamãe, mamãe!
NEURA: - Que foi filhinha linda da mamãe?
FEONA: - Foi ela. Arrebentou de propósito o meu vestido.
NEURA: - Ah, que feio. Sabe que isso significa meu amor?
CLARA: - Eu juro...
FEONA: - Castigue-a mamãe!
FEONA: - Só por isso ficará sem jantar. Além de ter que consertar este vestido. Amanhã cedo quero-opronto. Ah, meu bem... Não esqueça, a casa tem que está impecável. Estamos entendidas?
CLARA: - Sim senhora.
FEONA: - Foi que imaginei. Boa menina! Vamos meu anjo.
CLARA: - Vamos mamãe. Desmilinguida! (Saem)
AMIGO IMAGINÁRIO: - Não sei como você aguenta isso...
CLARA: - É minha tia. Devo-lhe respeito e gratidão.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Ela é má.
CLARA: - Mas é minha tia.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Lhe trata com escrava.
CLARA: - Se ao menos mamãe fosse viva!
AMIGO IMAGINÁRIO: - Sei como mudar essa história...
CLARA: - Como.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Você vai ao baile.
CLARA: - Mas como? Não tenho vestido.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Isso eu posso providenciar. Sabe aquele baú no sótão?
CLARA: - Aquele baú velho?
AMIGO IMAGINÁRIO: - Isso! Lá tem uns vestidos... Venha, vamos. (Saem)
CENA VII
NEURA: - Bem meninas... Já sabem, devem se comportar como perfeitas damas.
FEODORA: ­- Pode deixar mamãe. Serei uma perfeita dama.
NEURA: - Que tem atrás... Que está escondendo?
FEODORA: ­- Nada mamãe. Nada...
NEURA: - Mostre-me a mão.
FEODORA: ­- Aqui.
NEURA: - A outra...
FEODORA: ­- As duas.
FEONA: - Escondeu no vestido mamãe.
NEURA: - Me deixa vê... Ah, um frango! Que você quer? Estourar de tanto comer? É isso?
FEONA: - Não é atoa que o belo príncipe vai escolher a mim.
FEODORA: - Até parece que o príncipe vai querer se casar com uma magricela!
FEONA: - Gor-da!
FEODORA: - Elefanta.
FEONA: - Hipocó!
NEURA: - Pare com isso! Agora vamos, a carruagem nos espera. (Saem se batendo)
AS DUAS: - Foi ela!
NEURA: - Chega. (Saem)
CENA VIII
AMIGO IMAGINÁRIO: - É aqui...
CLARA: - Nossa!
SAPO:- Oi Clara?!
CLARA: - Você fala?
SAPO: - É claro que falo.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Esse e meu amigo, Caco.
SAPO: - É eu sou Caco, o sapo falante.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Venha, pode se aproximar... Não tenha medo.
SAPO: - Não precisa ter medo. Eu sou do bem. E na lagoa encantada preparamos um belo vestido pra você.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Aqui está.
CLARA: - Nossa! É lindo.
AMIGO IMAGINÁRIO: - É seu.
CLARA: - Obrigada! Nem sei como agradecer.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Pode agradecer indo ao baile.
CLARA: - Mas não tenho convite.
SAPO: - A pedido do nosso amigo imaginário, arrumei um pra você. Aqui esta.
CLARA: - É um convite real! Nem posso acreditar!
SAPO: - Entregue a ela o nosso presente.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Pra você.
CLARA: - Um anel. É lindo!
SAPO: - E mágico. Quando dê meia noite a pedra irá brilhar. E você terá que retornar.
AMIGO IMAGINÁRIO: - Então vá... Ou irá se atrasar para o baile.
CENA IX
 (Entram os soldados e se posicionam um em cada lado do trono)
ALFRED: (Clarinete) - Vossa Majestade George III acompanhado de sua ilustríssima senhora a Rainha Valentina. (O rei e a rainha sentam no trono)
ALDINE: (Entra e reverencia a rainha) Majestade!
ALFRED: - Vossa alteza o príncipe herdeiro Ferdinando.
FERDINAN: - Obrigado Alfred. Pai, mãe... Este é meu amigo senhor Jean.
VALENTINA: - Seja bem vindo meu jovem. Espero que divirta-se.
JEAN: - Obrigado, majestade.
ALFRED: - Senhora Neura e suas filhas, Feona e Feodora.
NEURA: - Majestade!
FEODORA: - Majestade!
FEONA: - Majestade!
GEORGE: - Meus convidados... Sejam bem vindos! Vamos ao baile. Ferdinan...
FEODORA: - É lindo mamãe!
FEONA: - Nunca vi tamanha beleza em toda minha vida.
NEURA: - Ajam com naturalidade meninas!
FEODORA: - Claro mamãe.
FEONA: - Ele está vindo, tá vindo...
FERDINAN: - Dá-me a honra?
FEODORA: - Eu? Ah... Eu acho que vou desmaiar...
NEURA: - Desmaie e eu te mato.
FEODORA: - Claro alteza. (Dançam)
JEAN: - Dai-me a honra senhorita?
NEURA: - Vá menina.
FEONA: - Claro. (Dançam. Trocam. Entra Clara. Todos param)
GEORGE: - Quem é esta bela jovem?
ALFRED: - Nunca há vi senhor.
ALDINE: - Bem graciosa, não é majestade?
VALENTINA: - É... Parece uma deusa!
FERDINAN: - Dá-me a honra senhorita
CLARA: - A honra será toda minha alteza. (Dançam)
NEURA: - Clara?!
FEODORA: - Que ela faz aqui mamãe?
FEONA: - É o que ela faz aqui?
NEURA: - Não sei. Mas Vai me pagar! (Badaladas de Relógio)
CLARA: - Preciso ir...
ALFRED: - Não... (segura a mão de Clara) Fique mais pouco
CLARA: - Realmente, preciso ir. (Sai correndo e seu anel fica na mão do príncipe)
FERDINAN: - Alfred, quem é esta jovem?
ALFRED: - Perdão senhor. Mas não a conheço.
FERDINAN: - Soldado vão atrás daquela jovem.
VALENTINA: - Bem, acho que meu filho Ferdinan, já escolheu sua futura princesa.
GEORGE: - Esta encerrado o baile. (Saem todos fica só Jean e Ferdinan)
JEAN: - Olhe... Este anel é mágico. Esta nos guiando. Vamos segui sua luz ... Aponta pra aquela direção.
FERDINAN: - Onde?
JEAN: - Da vila.
FERDINAN: - Então vamos. (Saem)
CENA IX
CLARA: - Titia me viu no baile, vai me matar!
AMIGO IMAGINÁRIO: - Não se preocupe minha amiga. É hora do bem vencer o mal.
CLARA: - Perdi o anel
SAPO: - Não precisa ficar triste minha bela menina. O anel é mágico. Trará o príncipe até aqui.
CLARA: - O príncipe, aqui? Então ele saberá que não passo de uma pobre órfã.
NEURA: - Clara... Clara!
CLARA: - Senhora...
AMIGO IMAGINÁRIO: - Ih, lá vem o diabo de sai. Não tema Clara.
SAPO: - Hoje é o dia da tua vitória. (Sai)
FEONA: - Castigue-a mamãe!
FEODORA: - É, castigue-a.
NEURA: - Que pensa que está fazendo menina?
JEAN: - Vossa alteza, o príncipe.
NEURA: - Alteza!
FERDINAN: - Que bom a encontra-la. Acho que perdeu este belo anel.
CLARA: - Obrigado alteza!
FERDINAN: - Quero que seja minha princesa.
CLARA: - Eu?
FEONA E FEODORA: - Ela?
NEURA: - Deve está havendo um engano.
FERDINAN: - Não há engano algum. Esta jovem é a escolhida para ser a minha princesa. A futura rainha do Reino de Cristal. Qual seu nome?
CLARA: - Clara, alteza!
FERDINAN: - É um belo nome. Princesa Clara. Amanhã mesmo nos casaremos.(Saem)
NEURA: - Clara uma princesa?
FEONA E FEODORA: - E agora mamãe?
NEURA: - E agora? Vocês vão fazer todos os serviços da casa.
FEONA E FEODORA: - Isso não é justo! (saem)
CENA FINAL
(TODOS ENTRAM E SE POSICIONAM. É A COROAÇÃO DE CLARA. FERDINAN BEIJA A MÃO DE CLARA E TODOS SÃO FELIZES PARA SEMPRE NO REINO DE CRISTAL)
 

infantil, o anel omágic, teatro, texto

domingo 17 junho 2012 11:19 , em TEATRO INFANTIL (TEXTOS)



2 comentário(s)

  • marcondysfranca Ter 06 Nov 2012 05:04
    Minha cara ficarei muito feliz em ajudá-la, pois este é meu objetivo, contribuir sempre, ajudando na formação de pessoas através da arte.
  • angela mailto Dom 19 Ago 2012 16:45
    adorei seu texto!!! trabalho com oficinas culturais da prefeitura, sem fins lucrativos; e estou com uma turma de 35 crianças de 7 a 9 anos, você poderia me ajudar com algum texto simples pois eles tem dificuldade de leitura. desde ja grata. meu email é angelateatro@hotmail.com


Seu comentário :

(Opcional)

(Opcional)

error

Importante: comentários racistas, insultas, etc. são proibidos nesse site.Caso um usuário preste queixa, usaremos o seu endereço IP (54.167.182.201) para se identificar     



Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para marcondysfranca

Precisa estar conectado para adicionar marcondysfranca para os seus amigos

 
Criar um blog